Busca
Classificação de assuntos:

Pesquisa por palavra-chave:


Últimas Notícias
  • 23-05-2024
    Conversa com o Cremesp 
    Sextanistas da Unifesp-EPM recebem a autarquia 
  • 22-05-2024
    Artigos científicos
    Trabalhos inéditos da JMRR serão lançados em congresso do Cremesp
  • 21-05-2024
    Publicidade médica
    Cremesp apresenta palestra para diretores e médicos do Hospital Sírio-Libanês
  • 21-05-2024
    Alerta de golpe
    Cremesp não efetua qualquer tipo de cobrança ou solicita dados pessoais por SMS e WhatsApp
  • Notícias


    19-04-2024

    Formação médica

    Cremesp pede a revogação imediata do decreto sobre a CNRM

    Libertar a Medicina de todos os ataques sempre foi uma atividade concorrente do Cremesp junto às demais atribuições autárquicas legalmente delegadas. Do médico recém-formado que entra em campo na busca de colocação; do médico especialista que busca valorização do título de especialista; da comunidade médica que arde diante da desenfreada abertura de escolas médicas; do médico residente que trabalha como se fosse o último dia para sobreviver em homenagem ao padrão ouro instituído pela residência médica no Brasil; por toda Medicina que entra em status de alerta.

    Como se já não bastasse a formação médica deficiente decorrente de política que promove a abertura desenfreada de escolas médicas, nesta semana, o Governo Federal publicou o Decreto 11.999 que reduz a representatividade médica na Comissão Nacional de Residência Médica. Esse decreto assombra novamente a comunidade médica. Decretos como este, draconianos e sorrateiros, têm o DNA de outrora a exemplo do Decreto 8497/14 que criava à época o Mais Especialistas, decreto esse que mobilizou um dos maiores protestos das instituições médicas no Congresso Nacional e foi revogado!

    Deve-se ainda acrescentar neste cenário de desqualificação da profissão a MP 621/13 que criou o Programa Mais Médicos e que suprimiu de modo brutal a emissão do CRM aos médicos pelos Conselhos Regionais de Medicina e passou a ser emitido pelo Ministério da Saúde.

    A edição do decreto que altera em seu conteúdo o formato de composição a ponto de tornar impossível qualquer decisão que não seja do interesse do Governo Federal, é um mecanismo que não pode ser aceito pela comunidade médica que deve manter a sua independência por meio do conhecimento científico a fim de nortear a estabilidade e a condução dos programas de residência médica. Deve ser revogado!!!

    O Cremesp entende que a residência médica entra agora em momento de diligência ante o decreto publicado, mas no que depender desta instituição a residência médica será objeto de pauta constante para que o decreto seja revogado.

    O Conselho não hesitará em judicializar, envolver parlamentares e incentivar muito ativismo para que, assim como a defesa do Ato Médico, das Prerrogativas médicas, da abertura desenfreada de escolas médicas e a busca pela carreira do médico, o padrão ouro da residência médica seja mantido e não usado como ferramenta de interesses políticos que não valorizam toda uma gloriosa cadeia de formação.


    Este conteúdo teve 1538 acessos.


    CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO
    CNPJ: 63.106.843/0001-97

    Sede: Rua Frei Caneca, 1282
    Consolação - São Paulo/SP - CEP 01307-002

    CENTRAL DE ATENDIMENTO TELEFÔNICO
    (11) 4349-9900 (de segunda a sexta feira, das 8h às 20h)

    HORÁRIO DE EXPEDIENTE PARA PROTOCOLOS
    De segunda a sexta-feira, das 9h às 18h

    CONTATOS

    Regionais do Cremesp:

    Conselhos de Medicina:


    © 2001-2024 cremesp.org.br Todos os direitos reservados. Código de conduta online. 406 usuários on-line - 1538
    Este site é melhor visualizado em Internet Explorer 8 ou superior, Firefox 40 ou superior e Chrome 46 ou superior

    O CREMESP utiliza cookies, armazenados apenas em caráter temporário, a fim de obter estatísticas para aprimorar a experiência do usuário. A navegação no site implica concordância com esse procedimento, em linha com a Política de Cookies do CREMESP. Saiba mais em nossa Política de Privacidade e Proteção de Dados.